Pular para o conteúdo principal

Fiquei com medo da jiboia

Parlenda escrita por José Guimarães e Silva. Poema escrito com base na Jiboia, cobrona que vive em árvores.

Com medo da Jiboia



Eu fui à beira do rio, Jiboia
Adivinha quem eu encontrei lá, Jiboia
Fiquei feliz, pois ela não me viu, Jiboia
Quando, depressa, eu saí de lá, Jiboia
Fiquei com medo dela, sim, senhor, ó Jiboiá!

Mas por que fuji com medo dela?, Jiboia
Confesso que não sei te responder, Jiboia
Só porque ela é uma cobra grande, Jiboia
Fiquei com medo e fugi de lá, Jiboia
Tal vez ela seja até boazinha, ó Jiboiá!

Quem mandou eu ir àquele rio?, Jiboia
Pois outros rios existem por lá, Jiboia
Pra beber água, pescar e nadar, Jiboia
Mas eu gosto mesmo é daquele rio, Jiboia
Pois é lá que eu posso descansar, ó Jiboiá!

Um dia eu vi uma cobrona esquisita, Jiboia
Na rua, no ombro de um menino estranho, Jiboia
Que estava com outros meninos também estranhos, Jiboia
Brincando com eles, com a cobra no ombro, a conversar, Jiboia
Eu fiquei com medo da cobrona do menino, ó Jiboiá!

Quem me dera eu ter uma cobra mansa assim, Jiboia
Se arrastando dentro de casa, como um animal doméstico, Jiboia
Talvez ela até fosse minha amiga esquisita, Jiboia
E ficasse quietinha comigo a brincar, Jiboia

Bom seria se fosse assim sem medo, ó Jiboiá!

Boa constrictor 


N. do A.: A jiboia é o nome pelo qual é conhecida uma grande serpente que gosta de viver trepada em árvores.

O nome serpente não sei se vem a calhar, porque a jiboia é uma cobra não-venenosa. 

A serpente como todos nós sabemos é uma cobra venenosa.

A jiboia é da família dos boídeos (Boa constrictor). Seu comprimento pode chegar a quatro metros. 

A jiboia tem o dorso amarelado, acastanhado ou cinza.

Essa cobrona mata suas vítimas por constricção. Isto é, enrola seu corpo em volta dela e a aperta, até que sua vítima para de se mexer. 

Daí a cobrona entende que sua presa já está morta e passa para o segundo passo, que é engolir sua comida. E que comida! 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog